Categoria : destaques

Home/Categoria "destaques" (Page 5)
preco-combustivel-na-bomba-min

Preço do combustível com duas casas decimais: postos têm até 7 de maio para adequação

Preço do combustível com duas casas decimais: postos têm até 7 de maio para adequação

De acordo com nova regra, os postos têm até 07 de maio para começarem a exibir o preço do combustível com duas casas decimais.

A partir do dia 7 de maio, os revendedores de combustíveis do país deverão exibir o preço do combustível com duas casas decimais, não mais com três. A norma está disposta na Resolução ANP nº 858/2021, que deu prazo até essa data para as empresas se adequarem.

O objetivo da mudança, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), é deixar o preço do combustível mais preciso e claro para o consumidor, além de estar alinhado com a expressão numérica da moeda brasileira.

Novas regras

O preço do combustível com duas casas decimais deverá ser exibidos tanto no painel de preços quanto nos visores das bombas abastecedoras. Contudo, nas bombas, a ANP irá consentir que se mantenha o terceiro dígito, desde que seja “zero” e fique travado no momento do abastecimento.

Dessa forma, os postos não precisarão trocar os módulos das bombas, o que poderia acarretar custos aos agentes econômicos. Como a terceira casa decimal estará zerada e travada, a ANP entende que não gerará dúvidas e o objetivo da regra, que é dar clareza aos consumidores, ficará mantido.

Ainda conforme a ANP, não há impactos previstos no valor final dos preços dos combustíveis devido a essa mudança. Isso porque ela não trará custos relevantes aos revendedores e nem restrições aos preços praticados.

 

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/preco-do-combustivel-com-duas-casas-decimais-postos-tem-ate-7-de-maio-para-adequacao/

Rosemeira-Martins-min

Cresce o número de mulheres motoristas profissionais

Cresce o número de mulheres motoristas profissionais

Em São Paulo, o número de mulheres motoristas profissionais cresceu 17,54% na comparação entre os anos de 2019 e 2021.

Dados do Detran/SP apontam que a presença feminina no trânsito aumentou no último ano em todo o estado de São Paulo. E, agora, representa 23% do total de motoristas que trabalham na condução de veículos e que possuem essa informação em suas habilitações.

Conforme o órgão, o número de motoristas mulheres que exercem atividade remunerada cresceu 17,54% na comparação entre os anos de 2019 e 2021. Nesse sentido, o contingente de mulheres paulistas que incluíram a observação “Exerce Atividade Remunerada” (EAR) na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) passou de 1.023.237, em 2019, para 1.202.747, em 2021.

O total é o maior dos últimos cinco anos.

Essa realidade também está presente nas ruas de outros estados brasileiros. A paranaense Rosemeira Martins, 56 anos, é um exemplo. Ela transformou o transporte de passageiros no seu trabalho diário, cumprindo horário bem como mantendo uma rotina constante, durante toda a semana. E ela não se contenta enquanto não completa o número esperado de corridas por dia e busca sempre estar na melhor categoria do aplicativo.

“Comecei a trabalhar dirigindo antes mesmo do aplicativo. Após o falecimento do meu marido, há 13 anos, eu assumi os negócios, peguei o caminhão de pequeno porte e comecei a entregar produtos de alimentação em toda a cidade. Trabalhava todo dia, de segunda a sábado. No início tinha medo de dirigir, mas a necessidade me forçou a ir atrás do meu sustento e do meu trabalho”, conta.

Após alguns anos, Rose, como é conhecida, estimulada pela irmã e com a ajuda dos filhos, decidiu transportar pessoas. “Lembro que depois da primeira corrida eu tremia muito, de nervosa. As duas primeiras passageiras foram mulheres, o que deixou a situação um pouco mais tranquila. Mas logo me acostumei; é comum ouvir dos homens que dirijo muito bem e todos se espantam quando sabem que já conduzi caminhão”, comenta.

Outro levantamento, da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), com dados da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran), revela que o Brasil contava com 25,8 milhões de motoristas mulheres até março de 2021, o equivalente a 35% do total de CNHs válidas no país.

De acordo com o diretor da Perkons, Luiz Gustavo Campos, a presença de mulheres motoristas profissionais leva também a uma visão amplificada sobre a importância da segurança nas ruas e vias. Segundo ele, uma pesquisa realizada pela Abeetrans, em 2019, mostra que as mulheres aprovam mais o controle de velocidade e isso contribui para um trânsito mais seguro. “83,9% das mulheres entrevistadas, entre pedestres e condutoras, aprovam o uso de radares para controle da velocidade, diante de 74,3% do público masculino”, explica. “Isso traduz muito do que estamos vendo nesses últimos anos. O crescimento do número de mulheres que encaram o trânsito como trabalho e, além disso, buscam ter um lugar seguro para isso”, ressalta.

As informações são da Perkons

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/cresce-o-numero-de-mulheres-motoristas-profissionais/

Motos-praticando-rachas-min

Notícias Divulgação de rachas na internet: Congresso mantém vetos e não haverá punição

Divulgação de rachas na internet: Congresso mantém vetos e não haverá punição

A Lei, que foi vetada praticamente na íntegra, pretendia punir a divulgação de rachas na internet.

O Congresso Nacional votou nesta tarde (28/04), através de cédulas eletrônicas, pela manutenção dos vetos do presidente Jair Bolsonaro à Lei 14.304/21, publicada em fevereiro deste ano. A Lei previa punir a divulgação de rachas na internet, além de outras infrações que colocassem em risco a segurança no trânsito.

A norma tinha como objetivo vedar a divulgação, a publicação ou a disseminação do registro visual da prática de infrações de trânsito na internet, em redes sociais ou em quaisquer outros meios de divulgação digitais, eletrônicos ou impressos, que colocassem em risco a segurança no trânsito. Um dos exemplos dessa prática é a corriqueira divulgação de rachas na internet, mais precisamente em canais no Youtube.

A Lei recebeu vetos do presidente Jair Bolsonaro em praticamente todo o seu conteúdo. O artigo que não recebeu veto do presidente, por exemplo, não tratava especificamente do tema original da lei. Agora, a maioria dos deputados federais e senadores que participaram da sessão conjunta do Congresso Nacional, manteve esses vetos. Para a rejeição de um veto seria necessária a maioria de votos, ou seja, pelo menos 257 votos de deputados e 41 votos de senadores.

Veja aqui como votou cada Deputado Federal

Conforme a deputada federal Christiane Yared (PL-PR), autora do Projeto de Lei 130/20, que deu origem à lei, a manutenção dos vetos da lei que previa punir a divulgação de rachas na internet é lamentável.

“Uma vergonha que custará vidas”, afirmou a deputada.

O PL 130/20, aprovado na Câmara e no Senado, instituía que a prática teria como punição multa correspondente a infração gravíssima multiplicada por dez. Isso corresponderia, atualmente, ao valor de R$ 2.934,70. Além disso, o infrator teria o seu direito de dirigir suspenso por 12 meses e poderia ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) cassada se reincidisse na conduta no prazo de dois anos.

Todo o conteúdo recebeu o veto do presidente Bolsonaro que disse ter ouvido o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e o Ministério da Infraestrutura.

O texto original da lei que puniria a divulgação de rachas na internet também previa, por exemplo, a adoção de medidas cabíveis para impedir divulgações deste conteúdo. Nesse sentido, empresas, plataformas tecnológicas ou canais de divulgação de conteúdos nas redes sociais ou em quaisquer outros meios digitais, deveriam coibir essa prática. Essa parte também recebeu o veto com a justificativa de que seria uma “censura prévia”.

 

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/divulgacao-de-rachas-na-internet-congresso-mantem-vetos-e-nao-havera-punicao/

PRF-atende-usuarios-na-via-min

Aplicativo PRF: tecnologia para atender usuários das rodovias

Aplicativo PRF: tecnologia para atender usuários das rodovias

Aplicativo PRF será lançado até o final do ano e terá como foco principal o atendimento a caminhoneiros.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou recentemente que até o final deste ano deverá desenvolver um aplicativo voltado para o uso dos motoristas nas estradas, trazendo, entre os serviços, um botão pânico, além de foco para as demandas dos caminhoneiros. De acordo com o diretor-geral da PRF, inspetor Silvinei Vasques, esse será o público principal do novo produto.

Além dos mais de 40 serviços disponíveis ao cidadão por meio da plataforma , o aplicativo continuará auxiliando e ampliando a assistência da PRF. No novo sistema, será possível acionar um botão de pânico no caso de um acidente grave ou contato com criminosos.

O diretor-geral da PRF destaca a interação de sistemas das agências de trânsito, de transporte e de segurança pública que criam grandes bancos de dados e que mantêm informadas as instituições policiais.

Conforme Vasques, trata-se de uma retroalimentação de informações, usando da tecnologia para minimizar custos, aumentar a eficiência e a presença da PRF e proporcionar ao cidadão mais segurança.

Parcerias e ações sociais

Vasques ressaltou, ainda, as parcerias com a iniciativa privada na questão de roubo de cargas e assalto a ônibus. Como, por exemplo o que vem acontecendo na Avenida Presidente Dutra, no Rio de Janeiro. Lá, houve a redução de 90% no roubo de carga depois da concessão.

“Nos locais onde as rodovias têm índice de segurança maior é natural que a economia se desenvolva melhor”, considera.

Por fim, o diretor-geral da PRF também enfatizou as ações sociais desenvolvidas pela PRF. O órgão, por exemplo, adquiriu uma carreta para atendimento dos caminhoneiros e comunidade lindeira. E, além disso, tem a expectativa de adquirir mais um veículo em breve para dar continuidade ao programa.

 

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/aplicativo-prf-tecnologia-para-atender-usuarios-das-rodovia/

apps-de-mobilidade-min

Apps de mobilidade: brasileiros preferem mais do que o próprio carro

Apps de mobilidade: brasileiros preferem mais do que o próprio carro

Apps de mobilidade são preferidos por 62% das pessoas. É o que diz pesquisa recente sobre meios de transporte urbanos. Veja os motivos!

É notório o fato de que a pandemia reduziu o número de passageiros em todos os meios de transportes urbanos, ainda que, em se tratando de carros, esse índice não tenha sido tão baixo. No entanto, o estudo realizado entre outubro de 2020 e outubro de 2021 pela agência Edelman sob encomenda da plataforma de pagamentos Paypal, identificou que 62% das pessoas preferem usar apps de mobilidade ao próprio carro. Veja abaixo alguns dos motivos.

Antes e durante a pandemia

O levantamento também registrou que durante a pandemia, em torno de 80% dos brasileiros usaram apps de mobilidade para evitar transportes públicos ou outras possíveis situações de aglomerações. Nesse sentido, tal comportamento deve se manter mesmo com o término do contágio.

Nos meses e anos que antecederam a março de 2020, quando os casos de Covid-19 chegaram ao Brasil, cerca de 48% dos brasileiros utilizavam por dia ou por semana pagamentos online para transporte. Durante a pandemia, porém, o mesmo índice passou para 56%.

A tendência é que este panorama se mantenha, haja vista que 88,3% dos entrevistados disseram que pretendem continuar utilizando apps de mobilidade quando a pandemia acabar. Além disso, 91% afirmaram gostar da experiência de pagar online por serviços de mobilidade urbana.

Segurança e pós-pandemia

A pesquisa revelou, ainda, que 78,3% dos entrevistados afirmam que seus pagamentos on-line, bem como via aplicativos por meios de transporte aumentaram durante o período de reclusão social. Por outro lado, cerca de 88,3% dos brasileiros disseram conseguir acompanhar melhor suas despesas de mobilidade urbana quando a cobrança é digital ou via app. O ranking de predileção é o seguinte: cartão de crédito (71,4%), cartão de débito (57,1%), Pix (34,7%), carteiras digitais (31,6%) e dinheiro em espécie (14,4%).

A pesquisa também levantou a questão da segurança. O uso de aplicativos de transporte individual ainda é preferido por 80,5% dos entrevistados por razões de saúde, bem como para evitar o contágio. No entanto, para 64,7% os meios de transporte coletivos ou compartilhados como trens, ônibus, barcas e metrô são devidamente desinfetados. Isso pode justificar a troca pelos aplicativos de transporte individual como Uber e 99.

Conforme os organizadores, a pesquisa ouviu, de forma online, 1.000 brasileiros. Com perfil de idade entre 18 e 55 anos, moradores de todas as regiões do país e abrangendo as diferentes classes sociais.

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/mobilidade/apps-de-mobilidade-brasileiros-preferem-mais-do-que-o-proprio-carro/

PRF_tiradentes-min

PRF registra aumento de 37% no número de pessoas dirigindo alcoolizadas no feriado

PRF registra aumento de 37% no número de pessoas dirigindo alcoolizadas no feriado

A Operação Tiradentes 2022, da PRF, flagrou 1.379 pessoas dirigindo alcoolizadas no feriado, um número 37% maior que o registrado na Semana Santa.

A Operação Tiradentes, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), flagrou neste feriado de Tiradentes um número 37% superior de pessoas dirigindo alcoolizadas do que o registrado na Operação Semana Santa. Segundo balanço divulgado pela PRF nesta segunda-feira (25), entre a quinta-feira (21) e ontem (24), foram realizados 52.504 testes de alcoolemia e 1.379 flagrados com o nível de álcool acima do permitido.

Ainda conforme o balanço, 4.460 motoristas foram autuados por ultrapassagem proibida e 3.504 motoristas e passageiros pelo não uso do cinto de segurança. Em comparação ao mesmo período de 2019, houve uma redução de 9% em relação à infração de ultrapassagem e aumento de 31% em relação ao não uso do cinto de segurança.

Agentes

De acordo com a PRF, nos quatro dias de operação, houve a abordagem de 91.368 pessoas e 80.474 veículos em todas as rodovias do país. Para a força tarefa, foram empregados 9.877 policiais.

“É importante destacar que, neste ano, houve um aumento de 38% de pessoas fiscalizadas e, além disso, 55% de veículos fiscalizados com abordagem em relação ao ano de 2019. No entanto, os dados ainda demonstram que o comportamento de muitos condutores coloca em risco a segurança de todos os usuários das rodovias. Nesse sentido, se mostra necessária a conscientização de cada cidadão envolvido no trânsito”, destacou o órgão em nota.

Acidentes graves

Com foco na prevenção, a PRF ressalta uma redução significativa de 49% de acidentes graves, os classificados quando há ao menos um morto, e de feridos, 74% a menos, em relação ao mesmo período de 2019, com o registro de 106 acidentes com mortos e 274 com feridos.

No entanto, o número de mortes nas rodovias federais foi 22% maior do que o mesmo feriado de 2019, com 66 ocorrências.

Combate ao crime

Neste feriado, todos os números de combate ao crime também tiveram um aumento significativo. A PRF apreendeu, por exemplo, 11.020 maços de cigarro contrabandeados; 1,5 toneladas de maconha; 37 Kg de cocaína; além de 11 armas de fogo. Em relação ao mesmo feriado de 2019, o aumento foi de 930%; 433%, 37% e 57%, respectivamente. A PRF recuperou 88 veículos roubados, bem como realizou 527 prisões.

As informações são da Agência Brasil

 

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/prf-registra-aumento-de-37-no-numero-de-pessoas-dirigindo-alcoolizadas-no-feriado/

cruzamento_preferencia-min

PL prevê mudanças na regra de preferência em cruzamento não sinalizado

PL prevê mudanças na regra de preferência em cruzamento não sinalizado

A proposta prevê que terá preferência em cruzamento não sinalizado em vias com diferentes números de faixas, o condutor que estiver trafegando na maior via. 

O Projeto de Lei 758/22 altera regra no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) sobre preferência de passagem em cruzamento não sinalizado.

Atualmente, O CTB diz que em cruzamento não sinalizado, tem preferência de passagem o veículo que se aproximar pela direita do condutor. Para o deputado Kim Kataguiri (União-SP), porém, que é o autor da proposta, embora a lei determine a preferência do veículo que está à direita, ninguém sabe ou faz esse raciocínio numa situação real de tráfego.

Pela regra proposta pelo parlamentar, no caso de vias com número de faixas distinto, terá preferência aquele que estiver trafegando pela via com maior número de faixas de trânsito. Nos demais casos, os condutores deverão obrigatoriamente parar seus veículos fora da região do cruzamento. E, após a parada, terá preferência de passagem aquele que primeiro chegar na região do cruzamento.

“É sugerida a adoção de uma regra objetiva, que diminui a suscetibilidade a interpretações judiciais conflitantes, aumentando a segurança jurídica, bem como reduz a probabilidade de ocorrência de avaliações equivocadas por parte dos condutores – seja por desconhecimento da regra vigente, seja pela dificuldade em avaliar a lateralidade [julgamento a respeito do que seja “direita” e “esquerda”] ao se aproximar de um cruzamento não sinalizado”, afirma Kataguiri.

O deputado ressalta ainda que a proposta se aproxima da jurisprudência dominante no Superior Tribunal de Justiça.

Tramitação

A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Viação e Transportes; bem como a de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Regra em cruzamentos

De acordo com o CTB, nas vias nas quais não há sinalização específica a preferência é:

  1. no caso de apenas um dos fluxos ser proveniente de rodovia, daquele que estiver circulando por ela;
  2. no caso de rotatória, daquele que estiver circulando por ela;
  3. nos demais casos, de quem vier pela direita do condutor.

Com informações da Agência Câmara de Notícias

 

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/pl-preve-mudancas-na-regra-de-preferencia-em-cruzamento-nao-sinalizado/

carro-quebrado-min

Carro quebrado na estrada: saiba o que fazer quando o imprevisto acontecer

Carro quebrado na estrada: saiba o que fazer quando o imprevisto acontecer

Algumas dicas vão te ajudar, caso o veículo apresente defeito durante a viagem.

Viajar de carro é um dos melhores programas em família desde sempre. Observar a mudança de paisagens, cantarolar músicas animadas e comer petiscos locais é uma delícia, um momento de conexão e afeto que fica registrado na memória por toda a vida. Com o recente ajuste no valor das passagens aéreas, a opção de viajar de carro é o plano principal de muita gente que deseja desopilar um pouco e curtir uns dias sem dor de cabeça.

 Além do preço da gasolina, o que tira a paz de quem viaja de carro? Se você pensou no carro quebrar na estrada, acertou em cheio. Daí a importância de fazer uma revisão no veículo na véspera de qualquer viagem, por mais curta que ela seja. Mas imprevistos acontecem, e é preciso manter a calma, acima de qualquer coisa. Separamos três dicas que vão te dar mais segurança, caso você tenha o carro quebrado na estrada.

Sinalização

Logo que o carro quebrar, é preciso ligar o pisca-alerta, para que as pessoas saibam que existe uma obstrução na via. Em seguida, é importante retirá-lo do caminho e colocar o triângulo alguns metros atrás do carro, na pista, para sinalizar que o veículo está quebrado. Se possível, coloque uns galhos de árvore mais afastados do triângulo, para dar tempo do motorista que vem pela estrada reduzir a velocidade e desviar.

O carro precisa ser removido da estrada – caso contrário, pode representar uma infração de trânsito.

Peça ajuda

Se o seu celular tiver sinal naquele trecho da estrada, ligue para o socorro e peça ajuda. Se tiver seguro, basta ligar para que um guincho se locomova até o local onde você está. Caso não tenha, é bom sempre ter uma lista de guinchos disponíveis para esse serviço.

Se estiver sem sinal, também não precisa entrar em desespero. O jeito é pedir ajuda ao órgão com jurisdição sobre a via ou à concessionária se a via for pedagiada. O carro precisa ser retirado da estrada o mais breve possível, e não poderá ser consertado no local. Caso seja uma coisa simples, como um pneu furado, tudo bem, mas consertar o carro na estrada ou rebocá-lo utilizando outro carro são infrações sujeitas a multa.

Mantenha-se em segurança em caso de carro quebrado na estrada

Em caso de carro quebrado na estrada, mantenha-se em um local distante da via, para evitar acidentes e atropelamentos. Além disso, não peça ajuda a outros carros que passam pelo local, pois esta é uma atitude muito perigosa.

Outro detalhe é muito importante: só é possível ir um passageiro com o carro no guincho, então você terá que providenciar um transporte para os demais. Nesses casos, pode contar com a Polícia Rodoviária ou com a seguradora do carro. Durante o contato telefônico, é importante informar quantas pessoas estão no veículo.

Seja uma viagem planejada ou não, os motivos para pegar um carro e seguir pela estrada podem ser diversos: conhecer um imóvel, visitar um parente doente, fazer um exame ou uma prova da OAB. O importante é estar com a documentação do motorista e do veículo em dia, bem como a revisão preventiva.

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/carro-quebrado-na-estrada-saiba-o-que-fazer-quando-o-imprevisto-acontecer/

uber-moto-min

Uber Moto já está em funcionamento em vários estados brasileiros

Uber Moto já está em funcionamento em vários estados brasileiros

Alguns cuidados devem ser tomados, tanto por passageiros quanto motoristas da modalidade Uber Moto, para evitar possíveis impactos negativos para a segurança no trânsito.

A Uber amplia a sua oferta de serviços com a chegada da nova modalidade – Uber Moto. Ela traz oportunidades para os motociclistas da plataforma ampliarem o portfólio de serviços, incluindo a entrega de pedidos de Uber Eats, realizar viagens de Uber Moto e entregas de itens com o Uber Flash Moto.

A nova modalidade já em circulação em São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Minas Gerais. E, em breve, haverá o lançamento no Paraná, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rondônia, Maranhão e Bahia. A intenção é proporcionar aos usuários, deslocamento por um valor de corrida reduzido, abaixo, inclusive, do preço oferecido pela modalidade do UberX, mantendo uma série de recursos de segurança, como seguro para acidentes pessoais tanto para usuários quanto para parceiros.

Segurança e saúde

De acordo com a empresa, todas as viagens feitas com a Uber, seja de carro ou, agora, por moto, incluem, entre outras medidas, a checagem de antecedentes dos parceiros e dão aos usuários a possibilidade de compartilhar com seus contatos a placa, a identificação do condutor e sua e localização no mapa, em tempo real.

Além disso, a empresa investe em iniciativas educacionais direcionadas aos motociclistas do Uber Moto. Eles receberão conteúdo educacional sobre segurança viária, estimulando a direção segura e o respeito às leis de trânsito.

E, os cuidados não param por aí. Embora o uso de máscara esteja sendo suspenso nas cidades brasileiras, a Uber mantém a atenção com a saúde dos seus motociclistas parceiros e usuários. E, por isso, contratou o médico Alexandre Naime Barbosa, chefe do Departamento de Infectologia da Unesp e consultor para Covid-19 da Sociedade Brasileira de Infectologia e da Associação Médica Brasileira, para validar um protocolo de prevenção ao coronavírus específico para o Uber Moto.

Entre as recomendações feitas estão a continuidade da higienização das mãos e superfícies da moto com álcool em gel. Além disso, que os usuários levem seus próprios capacetes, ou que capacetes extras sejam higienizados com produtos específicos e usados com toucas higiênicas – que podem ser fornecidas pelos condutores e reembolsadas pela Uber.

Cuidados ao usar o Uber Moto

A Inspetora da Polícia Rodoviária Federal – PRF, Yara Nunes, destacou alguns cuidados que tanto a empresa como os usuários de transporte de aplicativo por motos devem ter. Principalmente, pensando nos possíveis impactos que podem acarretar para a segurança no trânsito.

Ela ressalta, por exemplo, o fato de os serviços de Uber Moto não serem oferecidos por empresas, mas por particulares que se cadastram nos serviços oferecidos pelo aplicativo.

“Estes particulares devem possuir autorização dada pelo poder municipal local para prestar o serviço de transporte remunerado privado individual de passageiros. Então, o cuidado tem que ser por parte do próprio motociclista, em cumprir as exigências estabelecidas pelo poder municipal e do Distrito Federal”, ressalta.

 Cuidados dos Passageiros

  • •  Verificar se o serviço em sua cidade está autorizado pela prefeitura ou Distrito Federal;
  • •  analisar visualmente as boas condições da motocicleta, como pneus e retrovisores;
  • •  verificar se a placa da motocicleta e o condutor são os indicados no aplicativo;
  • •  procurar usar roupas que protejam melhor o corpo e calçados que se firmem nos pés;
  • •  tomar cuidado com o escapamento quente da motocicleta;
  • •  segurar firme no colete do motociclista ou nos pontos específicos fixados na motocicleta;
  • •  ter consciência que a motocicleta é um veículo de apenas dois ocupantes;
  • •  saber que o transporte em motocicletas de criança menor de 10 anos de idade ou que não tenha condições de cuidar da própria segurança é proibido;
  • •  não usar o serviço do Uber Moto se estiver sob efeito de álcool. Isso porque estando com sua capacidade psicomotora alterada- mesmo como passageiro- a atitude colocará em risco a segurança;
  • •  colocar o capacete, usar a viseira e a cinta jugular devidamente ajustada;
  • •  fazer a avaliação do motorista no próprio aplicativo.

Impactos na Segurança Pública

De acordo com a Inspetora da PRF, não é possível dimensionar o impacto desta modalidade de serviço de transporte individual no trânsito, devido à falta de dados estatísticos. Porém, já se sabe de antemão que os acidentes envolvendo motocicletas têm demandado um esforço muito grande por parte do Sistema Nacional de Trânsito. Isso porque os motociclistas, juntamente com os ciclistas e pedestres, são os usuários mais vulneráveis do trânsito, independentemente de quaisquer outras condições.

“É presumível que nas condições atuais em que se encontram o trânsito de veículos nos grandes centros brasileiros, por exemplo, e havendo expansão do serviço Uber Moto, a curva que representa a quantidade de motocicletas no Brasil tenderá a um crescimento exponencial. E, infelizmente, poderemos ter aumento na quantidade dos sinistros”, atenta e finaliza Yara Nunes, da PRF.

 

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/uber-moto-ja-esta-em-funcionamento-em-varios-estados-brasileiros/

baixa-visibilidade-min

Baixa visibilidade em rodovias: veja como agir!

Baixa visibilidade em rodovias: veja como agir!

Atitudes simples em condições de baixa visibilidade em rodovias como neblina, cerração, fumaça e penumbra podem salvar vidas. Veja as dicas!

Ver e ser visto é condição essencial para um trânsito seguro. Algumas circunstâncias podem comprometer essa visibilidade e, para isso, existem técnicas que contribuem para evitar a ocorrência de acidentes em condições de baixa visibilidade em rodovias.

Além de condições de pouca luminosidade natural como à noite, amanhecer e entardecer por exemplo, situações meteorológicas também podem comprometer a visibilidade, como: a neblina e a chuva.

Até mesmo a fumaça, que não se enquadra nessas categorias, é uma condição adversa que pode provocar acidentes causados por baixa visibilidade.

Segundo o Anuário Estatístico da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de 2020, quase 15% dos acidentes registrados nas rodovias federais aconteceram em condições meteorológicas de baixa visibilidade.

Além disso, se analisarmos os dados conforme o horário da ocorrência, é possível concluir que a maioria deles acontece entre 17h e 19h.

É nesse horário que acontece o que se chama de penumbra ou lusco-fusco, uma situação de pouca luminosidade que ocorre, por exemplo, ao anoitecer e ao amanhecer. Ela é considerada perigosa pois contornos e cores ficam pouco definidos, o que torna mais difícil reconhecer objetos, avaliar corretamente distâncias e, principalmente, ver e ser visto.

Para dirigir em situações de baixa visibilidade causada por NEBLINA e FUMAÇA em rodovias, alguns cuidados precisam ser tomados. Veja as orientações da PRF:

  • •  Fechar os vidros;
  • •  Diminuir a velocidade, mas sem freadas bruscas;
  • •  Manter o farol baixo ligado. Além disso, nunca usar o farol alto nessas situações;
  • •  Manter sempre uma distância segura em relação ao veículo que está à frente;
  • •  Sinalizar qualquer mudança de direção;
  • •  Não parar no acostamento, mas se precisar, parar o mais afastado possível da pista de rolamento e, após imobilizado, ligar o pisca-alerta;
  • •  Jamais ligar o pisca-alerta com o veículo em movimento;
  • •  Caso se deparar com uma cortina de fumaça, assim como a neblina, nunca parar sobre a pista e só fazer a travessia se houver visibilidade suficiente. Além disso, ligar o sistema de ventilação no modo recirculação para evitar que a fumaça entre no veículo.

Já, em situações de PENUMBRA ou LUSCO-FUSCO, os cuidados são:

  • •  Manter as luzes do veículo em perfeito funcionamento;
  • •  Manter os faróis regulados e limpos;
  • •  Usar o farol baixo;
  • •  Observar que a velocidade segura será inferior àquela que se pratica durante o dia;
  • •  Redobrar a atenção;
  • •  Aumentar a distância de segurança.

 

Fonte: Portal do Trânsito.

Link: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/baixa-visibilidade-em-rodovias-veja-como-agir/